SISTEMAS INTEGRADOS DE SEGURANÇA

“Não vejo como dissociar a tecnologia do processo de gestão de segurança. O conceito de Cidades Inteligentes permite uma análise de integração mais profunda, tendo como finalidade melhorar os serviços oferecidos aos cidadãos nas mais diversas áreas. A integração dos sistemas no processo de gestão pode ser visto como um dos principais ganhos para os gestores públicos. A tecnologia que está à disposição, serve tanto para preservar a integridade do agente público, como contribui para melhorar os procedimentos adotados na segurança. As câmeras de vídeo, por exemplo, além de identificar ações suspeitas e prevenir delitos, poupam tempo e recursos humanos de uma forma significativa. Aqui no Balneário Camboriú, em Santa Catarina, a Secretaria de Segurança também é responsável por todo o trânsito do município, não só na questão da segurança, mas também em relação à defesa civil e resgate social. Considero o conceito de integração promovido pelas Cidades Inteligentes muito promissor.”
João Olindino Koeddermann (Dão),
Secretário de Segurança do Balneário Camboriú – SC.

GP

Desafio do futuro

Para o gerente regional da União Internacional de Telecomunicações para a América Latina (UIT), Bruno Ramos, o conceito de “cidades sustentáveis” está “intimamente relacionado à capacidade das tecnologias melhorarem a vida das pessoas”. Tendo em vista que 80% da população vive na zona urbana, segundo dados divulgados recentemente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), tornou-se imprescindível utilizar a tecnologia para prover maior mobilidade urbana, segurança e integração social. O grande desafio não está somente na compra de novas tecnologias, na opinião dos especialistas, mas na integração eficiente entre sistemas já existentes e os novos equipamentos disponíveis no mercado, que possuem como principal característica a comunicação em rede. Segundo Ramos, a tecnologia ganhou grande importância não apenas no aspecto de ajudar a melhorar a sensação de segurança, mas, principalmente, por contribuir com o aumento da qualidade de vida das pessoas. “Essas tecnologias são responsáveis pelo novo conceito de cidades”, afirma Ramos.

GP

Mais investimento

O projeto de implantação das cidades digitais, de acordo com a secretária Nacional de Inclusão Digital do Ministério das Comunicações, Lygia Pupatto, teve uma demanda inesperada: foram 1.897 propostas relativas a 1.901 municípios. A secretária conta que a primeira fase do projeto deverá contemplar 200 localidades.

O desenvolvimento de cidades Inteligentes no Brasil tem em vista a proposta do Banco Interamericano do Desenvolvimento (BID) para a Iniciativa Cidades Emergentes e Sustentáveis (ICES). Em 2011, o projeto piloto foi implementado em cinco cidades da América Latina e Caribe, entre elas, Goiânia, na região Centro-Oeste do País. O projeto permitiu identificar as demandas por investimento nas áreas de mobilidade urbana, segurança, gestão e meio ambiente. Para estruturar um programa de âmbito nacional, o BID firmou aliança com a Caixa Econômica Federal. “Iniciamos um programa piloto dessa aliança que incluirá intervenções em quatro cidades brasileiras, dentre elas está João Pessoa”, comenta Ellis Juan, coordenador geral da ICES.

GP

Soluções urbanas

As cidades inteligentes, de acordo com o presidente da Intel, Renèe James, podem ser vistas como os novos exemplos de aplicações potenciais para a tecnologia. Segundo ele, essa nova realidade pode transformar as teorias computacionais em sistemas capazes de mudar vidas, principalmente porque até 2050, cerca de 70% da população mundial deverá viver em megacidades. James acredita que a tecnologia de semicondutores avançará ainda mais o gerenciamento de dados máquina a máquina (M2M) em cidades inteligentes. A empresa norte-americana trabalha em parceria com as cidades de Dublin e Londres para construir uma solução de referência capaz de revolucionar a gestão urbana.

Também de olho neste mercado, a Cisco lançou uma solução integrada concebida para ajudar as cidades a oferecer conectividade abrangente: Smart+Connected City Wi-Fi. Segundo a empresa, com uma rede implementada é possível oferecer diferentes tipos de serviços que ajudam a ultrapassar problemas em áreas como estacionamento, segurança pública e consumo energético.